Como foi a expedição Amazônia Rio Tapajós em junho?

Voltamos com a expedição Amazônia Rio Tapajós em junho de 2021 (feriado de Corpus Christi) e, a seguir, vamos contar como foi a viagem.

Preparação para Tapajós

O ICMBio, que cuida da Floresta Nacional dos Tapajós – Flona, autorizou a volta do turismo na região, assim como definiu as medidas de segurança para isso.

A Vivalá fez questão de estar presente, para que nossos parceiros de Maguari tenham orientação na volta dos negócios.

Cada viajante recebeu, em seu kit, a camiseta, o copo ecológico, uma máscara e álcool em gel.

Entregamos, além disso, máscaras descartáveis tanto para o grupo quanto para os comunitários, durante todos os dias da viagem.

Em toda interação e, principalmente, durante o voluntariado, o uso de máscara foi obrigatório por todo o tempo.

Conexão com a natureza

Nem mesmo a cheia do Rio Tapajós, que cobriu a maioria das praias de rio, atrapalhou nossa viagem, que foi cheia de momentos incríveis na natureza.

As duas trilhas na floresta, por exemplo, nas comunidades de Maguari e Jamaraquá, são incríveis, cada uma por um motivo especial.

Em Maguari, percorremos 14 km de mata, em que tivemos uma aula dos nossos guias sobre plantas, sobrevivência na selva e muito mais.

Os viajantes conheceram as formigas que servem como repelente e larvas que servem como alimentação.

O maior destaque, no entanto, fica para a vovó Samaúma, uma árvore gigante no final da trilha, que encanta qualquer um com seu tamanho e beleza.

Já em Jamaraquá, quem encara os 10,5 km de trilha recebe, como prêmio, o mergulho em um igarapé maravilhoso!

Além das trilhas, o grupo também curtiu duas praias de rio: a de Muretá e a de Cajutuba.

Foi nesta última, inclusive, que a natureza trouxe dois presentes inesquecíveis para os viajantes.

Primeiramente, um lindo pôr do sol; no dia seguinte, muitos botos nadando praticamente ao nosso lado. Que privilégio!

Mergulho na cultura do Tapajós

Nessa viagem também estreamos duas atrações de turismo de base comunitária, testadas e aprovadas pela galera.

Uma delas foi a oficina de ervas medicinais, com a Dona Neci e, em seguida, a oficina de seringa e borracha, com o Seu Dido.

Na primeira, conhecemos ervas que tratam diversas doenças e provamos alguns chás feitos na hora, a fim de preservar um pouco dessa sabedoria tão rica que o povo da floresta oferece.

Já na oficina do Seu Dido, tivemos contato com a produção da borracha natural, extraída da seringueira.

Dessa maneira, aprendemos como ela é usada hoje para o artesanato – trabalho que sustenta muitas famílias.

Além das oficinas, foram muitas conversas com o pessoal da região, que contaram lendas, assim como histórias emocionantes, engraçadas e inspiradoras.

Uma experiência única!

Voluntariado

Durante dois dias da viagem, os viajantes foram voluntários em mais uma sessão de apoio aos negócios locais.

A princípio, o grupo se dividiu em duplas. Utilizando a apostila da Vivalá, atenderam pousadas, redários e restaurantes, além de guias e artesãos.

Nosso trabalho, em síntese, foi explicar como as ferramentas digitais – em especial o WhatsApp – podem contribuir para os negócios.

No segundo dia, todo o grupo fez visitas a cada negócio, tendo a chance de ver de perto o espaço, conversar com os donos e fazer fotos e vídeos para ajudar na divulgação.

Saiba mais sobre como funciona o voluntariado da Vivalá em vivala.com.br/como-funciona.

Números das Expedições

Essa foi a 50ª viagem de turismo sustentável da Vivalá. De 2 a 10 de junho, aproveitando o feriado de Corpus Christi, contamos com 13 viajantes.

Passamos por duas comunidades – Maguari e Jamaraquá – além de duas noites no barco, em Alter do Chão.

Oito negócios receberam atendimento voluntário, entre pousadas, redários, restaurantes, guias e artesãos, além de muitos outros serviços contratados na comunidade.

Após a Expedição Amazônia Rio Tapajós de junho de 2021, já são 773 viajantes de 9 países que viajaram com a Vivalá.

Dessa forma, injetamos R$ 512 mil nas comunidades locais e levamos formação para 152 pequenos negócios de 7 comunidades brasileiras, em mais de 4.500 horas de voluntariado prestado.

Em setembro, durante o feriado da Independência, voltaremos para a Amazônia, com viagens tanto para o Rio Tapajós quanto para o Rio Negro.

As duas estão com inscrições abertas e você encontra o roteiro completo, com todas as informações e valores, em vivala.com.br/expedicoes.

Viva a Amazônia com a Vivalá.

One response to “Como foi a expedição Amazônia Rio Tapajós em junho?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *